Todos nós que temos negócios no mercado de Serviços seja como fornecedor de solução (software) ou como uma ISP já percebemos que a logística e a gestão dos materiais nestas empresas, principalmente os produtos serializados (ONU´s, OLT´s) e outros materiais de custo maior como Fibras Ópticas, Conectores ópticos e CTO´s requerem um controle apuradíssimo e que o seu desenvolvimento e conquista são complexos.

Além do óbvio controle que se precisa ter para evitar perdas e furtos destes materiais (muitas vezes estimulados pelo indesejável e infelizmente aquecido “mercado paralelo”) existem outras questões que poderiam ajudar a justificar a afirmação de que “LOGÍSTICA é o coração do seu negócio”. Talvez não seja tão à primeira vista e unanime esta afirmação porque “atendimento ao cliente”, “gestão de pagamentos e inadimplências”, “roteirização, Agendamento e despacho dos serviços”, “KPI´s de resultados operacionais”, “tratamento de leads e churn rate”, “gestão da frota”, “certificação do ponto com as atividades em campo”, tenham semelhantes status de relevantes.

Mas nenhum destes pontos na construção de uma ISP de sucesso tem tanta influência sobre as demais áreas da empresa como a logística tem. Neste sentido podemos dizer que a boa logística precede os processos de uma compra assertiva (redução de compras de materiais), favorece pela sua agilidade ao tempo maior do técnico em atividade (produtividade), promove insumos adequados para execução dos serviços nos SLA´s previstos (satisfação do cliente), reduz o deslocamento dos técnicos para retirada de material (menos custo com combustível), viabiliza com os insumos materiais a construção e agiliza a comercialização de serviços (pela entrega e manutenção da rede).

Logística é, ou deveria ser, um item de preocupação contábil (porque estoque tem ser empenhado e custeado), fiscal (porque a circulação destes materiais exige NF e em alguns casos impostos) e financeiro (um fornecedor só deveria receber quando entrega 100% da mercadoria).

Os gestores logísticos possuem vasta oferta de produtos no mercado para controle de materiais. Então porque esta rica oferta de múltiplas soluções, muitas vezes inclusas em produtos completos, não necessariamente geram as benéficas entregas descritas até aqui para o defendido “coração” das ISP´s e Operadoras?

A resposta não é linear, porém, certamente passa por pontos comuns. E um dos mais importantes deles é que a logística é mais do que boas práticas no armazém. Os termos mais apropriados para tais boas práticas logísticas giraram por décadas apenas em torno de um plano tri dimensional que equaliza WMS, DRP (alguns chamam de torre de controle) e TMS. Na ordem gestão eficiente dos armazéns e suas atividades, planejamento e acompanhamento da entrada e saída de material e o transporte e rastreamento do material até o seu destino.

O que recentemente evoluiu na logística não desconstrói estas 3 boas práticas, porém, as ressignificam. Quando o material sai do almoxarifado bem organizado e é entregue a um técnico estas práticas se dão por cumpridas na sua missão. porém, se o material apenas migrou de um CD ou de um depósito para uma pessoa que o aloca em seu veículo, em sua cafua (termo muito comum em operadoras) não deveríamos seguir com as boas práticas neste novo estoque (muito comum de ser chamado de saldo móvel)?

E neste ponto se perde o controle do material conquistado no armazém e seria definitivo se não fosse a percepção de que um bom WFM (work force management) deve chegar para ajudar, trazendo em si a proposta de prestação de contas dos serviços executados com o material gasto e o removido (reversa). Diga-se um gasto que seja limitado (configurado) pelo planejamento dos projetos, por um consumo mínimo (evita o esquecimento) e máximo (impede o gasto impróprio) por tipo de serviço deste ou daquele material. Que impeça uma finalização de serviços de natureza reparo onde se informou o serial da peça instalada mas não se informou o serial da peça removida.

Este WFM precisa oferecer no App que acompanha o técnico na sua rotina diária de trabalhos tratativas distintas para as naturezas de serviço “Assistência Técnica”, “Engenharia” e “Manutenção” porque estas são completamente diferentes na relação com o cliente onde as Ordens de Serviço que representam cada visita agendada, roteirizada e despachada começam e terminam no mesmo dia e que exigem fotos e check lists. Já os projetos não possuem cliente, endereço necessário e alguns casos avançam dia-a-dia em atividades reportadas e que muitos chamam de RDO (Relatório Diário de Obra) que exigem fotos e detalhamentos das atividades. E de forma semelhante um evento de manutenção não possui um cliente e sim vários (afetados) por uma ocorrência seja ela preventiva ou corretiva que requer encerramento e normalmente SLA especial. Por tanto, os gastos de materiais precisam ser acomodados em um workflow apropriado a cada uma destas 3 naturezas de serviço distintas no WFM.

Quando uma empresa chega neste nível de atenção ou de gestão ela tem a mão ferramentas WMS, DRP, TMS e WFM (quantas letrinhas, não é?).

mas e quando são oferecidas por um fornecedor único estas empresas estão experimentando aquilo que pode-se chamar de ”nova logística” onde a Sinapse batizou este conceito conjunto de WWFMSM (Warehouse and Workforce for Material and Service Management)!

Porque deste ponto em diante não existe mais de um lado o WMS a serviço da logística e suas boas práticas e do outro o WFM à serviço da operação e suas metas produtivas. O que existe é um produto híbrido de proposta dupla que une logística e operação em uma única plataforma reconhecida, com grandes cases de sucesso chamada de WWFMSM!

O App desta nova solução que antes era apenas para a interação com os serviços (receber OS, deslocar, chegada ao local, finalizar serviços, ativar equipamentos instalados, desativar equipamentos retirados, gerar OS Digital para o cliente, habilitar projeto para lider, gerar RDO, aprovar/reprovar RDO, finalizar evento de manutenção dentre outros) ganha novos recursos: consultas de saldo pelo técnico (transparência), ponto de encontro para almoxarifado volante, confirmação de recebimento do material contido na requisição previamente calculada pelo KIT (ativa o saldo para se informar os gastos já na próxima atividade), solicitação de material estruturada (pedidos limitados a real necessidade individual e melhor local para retirada dentre os que dispõem dos materiais), possibilidade de fazer do colega em campo um estoque localizando-se em um raio informado quem possui o material que falta e com ele fazer uma transferência (com a mesma métrica que permitiria o mesmo pegar a quantidade no armazém), inventários criados pela logística em um painel e que são declarados no app para ajuste de seus saldos e quando ocorrer perdas praticar-se descontos).

Certamente que uma logística que alcança este nível de experiência dos usuários e dos gestores das diversas áreas impactadas, além da reconciliação entre a logística e a operação, produz argumentos fortíssimos para a defesa de que, assim como um corpo precisa de um coração que conduza sangue ao cérebro, fígado, pulmões, a logística é o core do negócio que bombeia insumos vitais e potencializa todos os departamentos da empresa.

É possível transplantar apenas o velho coração por este novo, moderno e que bate no rítimo do empresário que deseja mais força, mais vitalidade. E tal qual as artérias conectam órgãos, é possível com elas implantar “Pontes” (API´s) que integram o corpo (ERP) ao novo órgão (o WWFMSM) sem afetar os outros interesses como o fisco, a contabilidade e o financeiro dos estoques.

Para as empresas que não consideram suas perdas de materiais relevantes e que já possuem um lucro “suficiente” fica o convite para a reflexão se deveriam rever sua gestão logística para descobrir o real potencial do seu negócio.

TESTE RÁPIDO DA EFICIÊNCIA LOGÍSTICA DE SUA EMPRESA

https://www.linkedin.com/posts/william-mendes-3ab79823_que-tal-um-teste-r%C3%A1pido-para-saber-se-a-empresa-activity-6686299498932703234-aV8z

A Sinapse está a 25 anos no mercado de Telecomunicações e desenvolveu ao longo destes anos as entregas contidas neste material e praticadas em empresas de todos os portes sendo a solução logística de 7 das 12 maiores empresas de serviços do Brasil.

Categorias: Logística

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Iniciar conversa
Olá
Como podemos ajudar ?
Powered by